quarta-feira, maio 4

Música

É estranho como a música de abertura de um CD pode ser “a música”, aquela pela qual identificamos sempre o novo álbum de um dos nossos compositores preferidos. Estou aqui… tenho nos ouvidos umas coisas bestiais: permitem filtrar o lixo sonoro que flutua pelo ar desta casa (e não é assim tão pouco quanto isso) e deixam que essas primeiras músicas toquem só para mim, nas alturas, até se entranharem pelos ossos adentro.
Agora ouço Alma Mater. Há pouco, foi Ave Mundi e depois Cinema. São estas de que falo no início do texto: as primeiras músicas dos discos. É só nisto que o Rodrigo Leão se repete. Nisso e no facto de a primeira música dar nome ao disco. No resto, é impressionante como surpreende. Há 12 anos que ouço o Ave Mundi Luminar e ainda me delicio… Talvez seja, também, por trazer boas recordações. Obrigada ao António, que mas deu… e me fez gostar de Rodrigo Leão.

A música é barulho que pensa, VH

1 Comments:

Blogger Amor Maior said...

Ouvir "Rosa" do Cinema leva-me sempre para o cenário da Ponta do Sol. Os dois são lindos de morrer...

5/5/05 9:18 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home