quinta-feira, abril 21

Tudo o que temos

Há quem diga que o nome é tudo o que temos. Podem as tempestades e os infortúnios levar-nos tudo, pode a vida dar as voltas que der que nunca hão-de tirar-nos o nosso nome. Ele é, no fundo, a única coisa que nos acompanha durante a nossa fugaz passagem por este mundo. Desde que nascemos, temos um nome. Por vezes, até já o temos mesmo antes de deixar o ventre materno. O nosso nome é tudo o que temos. Eu concordo. Também costumo dizer que podemos perder tudo, mas nunca perdemos o nosso nome, que é o que nos resta quando mais nada parece existir. Mas agora acredito que há algo mais além do nosso nome, que nos identifica quase com o mesmo rigor. Não consta do BI, ninguém nos chama por ele, mas existe. É o nosso sorriso. Também diz muito de nós, também nos acompanha quando mais nada parece restar à nossa volta. É bom sorrir e ver sorrir. E como pode ser belo um sorriso, mais ou menos rasgado, menos ou mais cúmplice... é um sorriso. Que nos é oferecido sem termos de dar nada em troca, a não ser um outro sorriso.

5 Comments:

Anonymous Ademar Santos said...

E quando são os cães ou as cadelas que sorriem?...
Tenho andado distraído...

21/4/05 5:08 da tarde  
Anonymous Cadelinha Lésse said...

Lá vens tu com as cadelas... safa!

21/4/05 8:24 da tarde  
Anonymous Ademar said...

Meu Deus!!!! já reparaste como assinas?
Como queres que não fale de cadelas? Ou deverei antes escrever... cadelinhas?!!!!!
Safa, digo eu!!!!!!

21/4/05 8:37 da tarde  
Anonymous jpcoutinho said...

desculpem intrometer-me mas essa do sorriso está bem recordada.Dava e sem ele o que somos?

22/4/05 3:05 da manhã  
Anonymous Cadelinha Lésse said...

Sem ele, queiramos ou não, não somos os mesmos!

22/4/05 2:42 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home