quinta-feira, março 31

Poema

Afinal, anda por aí gente atenta! Vejam lá que as minhas dicas sobre os tigres até suscitaram um poema!... Não é meu, obviamente, e como estou autorizada a divulgá-lo, aqui vai:


Improviso sobre a arte da caça...

A pele
arranhada dos tigres ausentes
(ou seria a alma da mobília?)
a floresta tem muitos silêncios felinos
as cifras é que não estão
ao alcance de todos.


Boa, Ademar!

3 Comments:

Anonymous Ademar said...

Infelizmente, os frangos não convidam à poesia. Só as galinhas...
Para mereceres outro poema, terás de te esforçar um pouco mais...

31/3/05 7:50 da tarde  
Anonymous Cadelinha Lésse said...

Contra as galinhas, marchar, marchar!

31/3/05 8:16 da tarde  
Anonymous Ademar said...

As galinhas não marcham, só dançam. Pelo menos, na imaginação de quem gosta de as comer...

31/3/05 8:33 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home