sexta-feira, abril 1

Fosse eu


Apenas ouço o vento a cantar
Qual tenor junto ao meu ouvido
Preferia que fosses tu
A segredar-me um beijo
Preferia ser uma nuvem
Tocada por esse vento
Que me levaria até ti
Fosse eu uma gota de chuva
Para sossegar o teu tormento
Fosse eu
Fosses tu



O que acabaram de ler saiu-me da cabeça para o papel em menos de um credo, ontem à noite. Para o que me havia de dar!!! Eu bem vos disse que o melhor era cotribuírem para a história do menino jesus... como não o fazem, levam com coisas destas. Enfim

4 Comments:

Anonymous Ademar said...

Virei aqui mais vezes para acalmar os olhos nos teus "improvisos".
Sentir-me-ei particularmente recompensado...

1/4/05 4:32 da tarde  
Anonymous Cadelinha Lésse said...

Não te fies, olha que isto não é para todos os dias

1/4/05 4:35 da tarde  
Anonymous Ademar said...

Eu sei - é para todas as noites (ou quase). Os latidos só acordam as madrugadas...

1/4/05 5:10 da tarde  
Anonymous Cadelinha Lésse said...

Agora fizeste-me lembrar uma expressão muito bonita, que reza assim: "A casa tem o gosto que tem o pão: não é para todas as horas, mas sente-se-lhe a falta se não for todos os dias". Excerto de Memorial do Convento

1/4/05 5:19 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home